Agência do Trabalhador já fez quase 20 mil atendimentos este ano



A Agência do Trabalhador apresentou esta semana um relatório com o balanço dos primeiros sete meses de atendimento. Até o dia 31 de julho, a Agência atendeu 19.657 trabalhadores em busca de uma vaga de emprego ou dando entrada aos pedidos de seguro-desemprego. No mesmo período, mais de 4 mil trabalhadores foram encaminhados para entrevistas em empresas da cidade.

“No nosso trabalho de captação de vagas junto às empresas, conseguimos abrir quase 700 oportunidades nestes primeiros sete meses, uma média de 100 vagas por mês. Em média, de 3 a 5 trabalhadores são encaminhados para entrevistas para cada vaga aberta. E todo este trabalho é gratuito, tanto para a empresa quanto para o trabalhador”, explica a gerente da Agência do Trabalhador, Nadiele Rocha Pereira.

A Agência conta hoje com uma equipe de sete pessoas, entre pessoal efetivo e estagiários. O prédio tem um espaço exclusivo para que as empresas possam realizar entrevistas com os candidatos a uma vaga de emprego, uma sala de treinamentos equipada com data show e ar condicionado, e ainda a Sala do Empreendedor, que presta consultorias a atendimentos diversos aos MEIs (Microempreendedores Individuais).

“Já estamos nos planejando e buscando um espaço ainda mais amplo e adequado para atender melhor os trabalhadores e as empresas. Também estamos estudando uma ampliação na equipe de atendimento”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Carlos Emanuel Rodrigues.

Exigência por experiência – Muitas vezes os trabalhadores questionam sobre a exigência de experiência profissional para a maioria das vagas ofertadas. “Primeiro, é necessário entender que a Agência do Trabalhador faz apenas a intermediação entre a empresa e o trabalhador que está em busca de uma vaga de emprego. Nós não abrimos vagas, apenas administramos as vagas que as empresas nos repassam. E a empresa tem o direito de definir quais os requisitos para a contratação e que características procura nos candidatos à vaga”, explica Nadiele.

Na avaliação da gerente da Agência, a realidade é que, em tempos de crise, as empresas ficam mais exigentes na hora de contratar. “Há dois anos atrás, a realidade era outra. A situação econômica era boa, as empresas tinham muitas vagas abertas e pouca mão-de-obra especializada. Então as pessoas sem experiência eram contratadas facilmente, pois quase não havia concorrência. Hoje, o cenário é totalmente diferente. Tem mão-de-obra sobrando e as empresas têm poucas vagas para serem preenchidas. E na maioria das vezes essas vagas são bem específicas, com um tipo de formação exclusiva e com exigência de uma boa experiência para ocupar a vaga”, pondera.

Para tentar ajudar um pouco quem está desempregado, a Agência do Trabalhador conversa com a empresa antes de abrir a vaga e tenta flexibilizar as exigências. “Se a empresa nos pede trabalhadores com três anos de experiência, nós tentamos conversar e diminuir esta exigência para um ano, por exemplo. Assim, nós conseguimos ampliar um pouco as chances de quem está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho. A partir dos requisitos que a empresa nos apresenta, nós fazemos então uma filtragem técnica e encaminhamos os trabalhadores com aquele perfil para as entrevistas”, frisa Nadiele.

Divulgação de vagas – Toda segunda-feira, a Secretaria de Comunicação divulga no site (www.paranavai.pr.gov.br) e nas redes sociais da Prefeitura, o Boletim do Emprego com as vagas abertas.

O Paranavaí Online também divulga diariamente as vagas no link Vagas na Agência do Trabalhador.

A Agência do Trabalhador de Paranavaí fica na Rua Marechal Cândido Rondon, 1701, Centro. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, sem fechar para o almoço. O telefone de contato é o 3421-2650.






Design by Gustavo Picoloto