PROJETO ONDA VERDE - Fase de implantação continua acelerada



Continuam acelerados os trabalhos de implantação do Projeto Onda Verde. No pólo do Clube Campestre, trabalhadores instalam equipamentos de irrigação e devem iniciar o plantio de legumes nos próximos dias.

Os agricultores já plantaram um alqueire de mandioca de mesa e também uma área com abóbora. Onda Verde é uma proposta de campanha do prefeito Mauricio Yamakawa, que esteve conferindo o andamento dos serviços nesta semana.

Engenheiro agrônomo, Yamakawa avalia que quando estiver em pleno desenvolvimento, a proposta deve se consolidar na redenção de dezenas de famílias que moram na cidade e prestam serviço no campo como trabalhadores volantes (Bóias frias). O prefeito complementa que Paranavaí tem muita terra disponível, podendo ser aproveitada em benefício das famílias, sobretudo, das pessoas que vivem em buscam a geração de trabalho e renda em quantidade suficiente para manter as suas necessidades básicas e se desenvolver.

Técnico em agropecuária da Emater, Ilson Jonacir Rodrigues Gomes informa que o solo está preparado, restando apenas concluir o sistema de irrigação. Ele detalha que serão plantados quiabo, cenoura, beterraba, rabanete, milho, pepino, salsa e cebolinha nesta fase. Estes itens deverão ser destinados ao Programa Compra Direta, em parceria com os governos Federal e Estadual. Para se ter uma idéia, no ano passado foram adquiridos R$ 60 mil em produtos em Paranavaí nesta modalidade. O volume só não foi maior por falta das mercadorias.

Num segundo momento, o objetivo do Onda Verde é expandir para outros mercados. Quando a produção estiver a todo vapor nos quatro pólos já definidos, o técnico sonha com a implantação de uma unidade do CEASA para abastecer a cidade e a região. Entusiasta da agricultura familiar e acostumado a trabalhar com os agricultores, Gomes concorda que a proposta pode ser a redenção dessas famílias. Ele já atende outras 25 famílias produtoras de hortaliças em Paranavaí.

Parcerias de sucesso - O Onda Verde está sendo viabilizado graças a ação da Prefeitura de Paranavaí em parceria com o Governo do Estado (através dos órgãos estaduais na cidade, dentre os quais, Emater) e iniciativa privada, englobando a Associação dos Citricultores do Paraná (através do Projeto Suco Justo), bem como as associações de trabalhadores.

O objetivo do Onda Verde é reduzir a dependência de frutas, verduras e legumes que vêm de outros centros, gerando trabalho, renda e reforço na alimentação para os agricultores locais. Numa segunda fase, o projeto pretende “exportar” o excedente da produção para outros centros. O mercado é muito promissor, já que pouco mais de 20% dos gêneros consumidos são produzidos atualmente na cidade. Vão se somar ao pólo produtivo do Campestre, unidades na Vila Operária, no Jardim São Jorge e na Chácara Jaraguá, sempre através de associações comunitárias.

Pela parceria, o pólo do Campestre é coordenado pelo Projeto Suco Justo, que trabalha com os colhedores de laranjas e suas famílias, buscando melhor qualidade de vida. Os agricultores formam a Agrosul, associação criada exclusivamente para esse fim. Com essa atividade, devem ser gerados 50 empregos diretos. O clube está cedendo 3 alqueires de terra para plantio das hortaliças até 2018. Em contrapartida, o município está formando 3 alqueires de mata para o clube, que cumpre assim a sua necessidade de reserva legal.

Proposta democrática - Além de amplo, o Onda Verde é muito democrático, com possibilidades incalculáveis de desenvolvimento. Por isso, para participar basta a pessoa ter vocação para o cultivo e se organizar em associação. Quem tem lotes, mesmo urbanos e quer dar uma destinação produtiva, deve se informar na Diretoria de Marketing Agrícola, através do telefone 3902-1115 (Secretaria de Desenvolvimento e Secretaria de Agricultura), obtendo detalhes com o diretor Nivaldo Garcia. Quem não tem terra, mas tem disposição, também pode participar.

Fonte: Departamento de Imprensa - Prefeitura do Município de Paranavaí






Design by Gustavo Picoloto