Paranavaí fechou mês de julho em 15º no ranking do Estado na geração de empregos



Paranavaí é o 15º município no ranking do estado do Paraná com maior número de postos de trabalho criados no mês de julho. Mesmo com um saldo negativo de 10 postos de empregos (-0,05%), a cidade ainda se manteve na frente de centros de igual ou maior porte no estado como Campo Mourão (25º), Umuarama (44º), Foz do Iguaçu (52º), Cascavel (56º), Londrina (57º), Maringá (58º) e Curitiba (60º). Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta sexta-feira (21), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O município registrou, no mês de julho, 855 contratações e 865 demissões. O setor que mais demitiu foi o do comércio (saldo de -67) e os que mais contrataram foram os setores de serviços (saldo positivo de 26), indústria de transformação (saldo positivo de 12) e Agropecuária (saldo positivo de 12).

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Carlos Henrique Scarabelli (Kaká), Paranavaí ainda consegue manter o equilíbrio em meio ao cenário desfavorável vivenciado no país. “Esta foi a primeira vez este ano que tivemos um saldo negativo, com fechamento de postos de trabalho. Ainda assim o número não foi tão expressivo e nos mantivemos em situação melhor do que os grandes centros do Estado, por exemplo. A situação do país é bastante complicada, mas com as políticas de geração de empregos e incentivo às empresas que o município adota, ainda conseguimos nos manter em equilíbrio”, avaliou Kaká.

O secretário lembrou ainda que o bom desempenho do município no mês de junho, quando Paranavaí apareceu como o 2º maior gerador de empregos no Estado e o 3º no sul do país.

Balanço geral – No Paraná, apenas 11 cidades com mais de 30 mil habitantes tiveram saldo positivo de empregos no mês. Entre elas, somente quatro fecharam o saldo acima de 100 vagas: Fazenda Rio Grande (468), Araucária (144), Cornélio Procópio (129) e Cianorte (119).

O estado fechou julho com corte de 12.355 empregos celetistas. As atividades com pior desempenho foram indústria de transformação (-6.991 postos), comércio (-3.446 postos), construção civil (-1.428 postos) e serviços.

Em todo o país, foram fechados 157.905 postos de trabalho com carteira assinada em julho. Este foi o quarto mês seguido com grande saldo de demissões na economia brasileira. O resultado de julho também foi o pior para este mês desde o início da série histórica do Ministério do Trabalho para este indicador, em 1992.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social - Prefeitura do Município de Paranavaí






Design by Gustavo Picoloto