DER recupera trecho de estrada na região



Foram iniciadas nesta semana as obras de recuperação dos 26 quilômetros da estrada que liga os municípios de Atalaia, Ângulo e Iguaraçu (PR-218).

A obra faz parte de um dos corredores que formam o programa Estradas da Liberdade - vias alternativas ao pedágio - e recebe investimentos de R$ 3,8 milhões.

Segundo o secretário dos Transportes, Rogério W. Tizzot, a recuperação do trecho vai consolidar uma ligação sem o pagamento de tarifas entre Londrina e Paranavaí. Ao utilizar o caminho pela PR-218 na viagem entre as duas cidades, o motorista desvia de três praças de pedágio.

“Estimamos que até o final deste ano, o corredor esteja em perfeitas condições para receber o tráfego que hoje utiliza a via pedagiada e ainda os motoristas que já a utilizam como desvio”, afirmou.

Estudos do DER mostram que em comparação com a rodovia pedagiada, a alternativa pela rodovia estadual traz vantagens de distância e de custos.

Ao optar trafegar pelo corredor estadual o motorista vai diminui o percurso entre os municípios em 17 quilômetros. São 152 quilômetros no segmento formado pelas estradas estaduais contra 169 quilômetros no trecho concessionado.

A utilização das vias estaduais é ainda mais atraente para os caminhoneiros. O estudo do DER mostrou que ao trafegar pela PR-218 o motorista de um caminhão articulado terá uma economia superior a R$ 90 por viagem. “É uma diferença significativa, principalmente para aqueles motoristas que fazem diversas viagens em uma semana”, avaliou Tizzot.

Somente neste corredor das Estradas da Liberdade, o DER aplicou mais de R$ 10 milhões. “Ainda vamos ainda ampliar a pesagem, o policiamento e a estrutura do Siate para melhorar o atendimento na rodovia. Teremos também uma conservação mais exigente devido ao volume de tráfego, que deve ser mais alto”, acrescentou Tizzot.

O secretário explicou que os serviços são voltados para a preparação das estradas. As melhorias, adiantou, vão atingir de alguma forma todas as chamadas rotas alternativas.

“As vias incluídas no programa Estradas da Liberdade não haviam sido projetadas originalmente para receber o tráfego pesado, que passou a usá-las como desvio das estradas concessionadas”, disse ainda o secretário dos Transportes.

Fonte: Agência Estadual de Notícias






Design by Gustavo Picoloto