Governo vai investir R$ 231 milhões em 1.700 quilômetros de rodovias



O governo do Paraná começa nos próximos meses mais um grande programa de obras nas rodovias paranaenses.

O governador Roberto Requião autorizou nesta semana a licitação para obras em 1.700 quilômetros de estradas. As obras fazem parte do programa batizado de Conservação Total e os investimentos podem chegar a R$ 231 milhões. “Com este programa vamos garantir rodovias seguras, diminuir custos de conservação e reduzir os custos operacionais para os motoristas”, afirmou o secretário dos Transportes, Rogério W. Tizzot.

As intervenções seguem até 2010 e são divididas em seis frentes integradas: conservação da faixa de domínio (limpeza dos acostamentos e da vegetação, entre outros serviços), manutenção do pavimento da estrada, recuperação de rodovias, sinalização e segurança rodoviária e pesagem de veículos. “É uma ação de gestão rodoviária para garantir e melhorar o que vem sendo feito nas nossas estradas desde 2003. A meta é elevar, até 2010, o índice de rodovias consideradas muito boas, boas ou regulares para 97%”, acrescentou Tizzot.

Para a elaboração do programa de obras, foram feitos levantamentos que mapearam as necessidades de investimentos. As rodovias foram dividas de acordo com o fluxo de tráfego e com a importância local ou regional. A análise desse diagnóstico resultou na confecção de três diferentes ações nos pavimentos das estradas. A conservação rotineira (serviços em pontos específicos das vias), a conservação periódica (obras em toda a extensão das rodovias, com a recuperação do pavimento) e a restauração (intervenções mais pesadas).

Segundo Tizzot, as obras nos 1.700 quilômetros fazem parte dos serviços de conservação periódica. “Utilizaremos técnica semelhante à que foi responsável pela recuperação das estradas paranaenses entre 2003 e 2006.” O secretário acrescentou que a conservação periódica é apenas uma das ações do programa. “Há outras obras e serviços em andamento, que serão ampliados na seqüência como as restaurações e os serviços de conservação rotineira.”

Na regional Oeste do DER, serão cerca de 550 quilômetros de rodovias. Entre eles, destacam-se os 80 quilômetros entre Realeza e Marmeleiro (PR-182, PR-483 e PR-180); os 47 quilômetros que formam o segmento do acesso a Pranchita até Capanema (PRC-163); e outros 40 quilômetros da ligação entre Assis Chateaubriand e Toledo (PR-239 e PR-317).

Mais 383 quilômetros receberão melhorias na regional Norte. Nessa região estão os 82 quilômetros entre Londrina e Mauá da Serra (PR-445); o cruzamento da PRC-153, próximo a Ventania, até o acesso a Sapopema (PR-090), com 59 quilômetros; além do segmento de 72 quilômetros de Porecatu a Rolândia (PR-170 e PR-323).

Outros 278 quilômetros da regional Noroeste passarão por obras. Destes, são 76 entre Nova Esperança e Santo Inácio (PR-463); 51, de Paranavaí a Rondon (PR-492 e PR-180); e 36 quilômetros do acesso a Quinta do Sol até Terra Boa (PR-082).

Dos 266,5 quilômetros que devem receber serviço na regional Leste, podem-se citar 83 quilômetros da Barragem Foz do Areia até Jangada do Sul (PR-170); de Palmeira a São Mateus do Sul, 74 quilômetros; e do cruzamento com a BR-153 até o acesso oeste a Palmas (PR-280), com 62,5 quilômetros.

Já na regional dos Campos Gerais, as obras serão realizadas em 252 quilômetros. Estão incluídos os 60 quilômetros entre Castro e Tibagi (PR-340); 32 quilômetros de Santana do Itararé a Wenceslau Braz (PR-151 e PR-422); e ainda do cruzamento com a BR-373, passando por Bom Jardim do Sul, até Ivaí (PR-522 e PRC-487), com 30 quilômetros.

Fonte: Agência Estadual de Notícias






Design by Gustavo Picoloto