Município ganha Unidade de Progressão para aprimorar tratamento penal



A reinserção social de presos sentenciados à pena privativa de liberdade tem sido tema de debates em todo o Brasil. Com o objetivo de que os indivíduos retornem para a sociedade de forma mais harmônica e produtiva, o Paraná passou a trabalhar com unidades de progressão e escritório social, visando a diminuição da reincidência da prática delituosa. Em Paranavaí, o projeto começa a dar os primeiros passos com a inauguração de uma unidade.

A Unidade de Progressão de Paranavaí (UPPAR) foi inaugurada nesta terça-feira (11/12) com a presença de diversas autoridades. De forma conjunta, o discurso tem uma linha clara: melhorar a execução penal, possibilitando o aumento na reinserção social dos apenados. O projeto vai oportunizar uma melhora no tratamento penal dos presos da cadeia pública de Paranavaí. Atualmente com mais de 300 presos, quem se interessar vai passar por um longo processo de seleção onde serão classificados com o perfil estabelecido e que estejam dispostos a trabalhar e estudar.

Para o coordenador regional do projeto, Luciano Brito, o objetivo é a reinserção social dos indivíduos sentenciados. “Acreditamos na ressocialização. Alguns, tendo a oportunidade, negaram e jogaram tudo a perder. Porém, é nosso trabalho oferecer oportunidades, fazer algo diferente e não ficar apenas enxugando gelo. Precisávamos agir e esse projeto vem para ser um diferencial. Vamos começar gradativamente, com regras bem estabelecidas, mas a expectativa é muito boa”, disse.

O prefeito KIQ, que tem ampla experiência na área, colocou-se à disposição para que o projeto tenha sucesso. “Posso garantir que o município fará tudo o que for necessário para que esse projeto seja um grande sucesso. Precisamos diminuir a reincidência, pois como alguns dizem, a cadeia pode ser uma faculdade para um preso. Alguns entram por cometerem pequenos delitos e, com o passar do tempo, se tornam assaltantes de banco, homicidas e assim por diante. Esse aprimoramento do tratamento penal é essencial para a população, pois amanhã ou depois esses presos vão retornar para a sociedade”, ressaltou.

O juiz da 1ª vara Criminal de Paranavaí, Dr. Rodrigo de Masi, disse que o motivo do engajamento no projeto é a crença de que as pessoas podem mudar. “Temos convicção de que esse projeto vai nos ajudar a ver que a mudança não é difícil. Ainda acreditamos nas pessoas, acreditamos que elas podem mudar. O Poder Judiciário é interessado direto para que o projeto dê certo, por isso, faremos de tudo para que obtenha êxito”, afirmou. O diretor adjunto do Departamento Penitenciário do Paraná (DEPEN), Thorstein Ferraz, falou sobre os resultados do projeto até o momento. “Em Curitiba, temos até o momento a constatação de que 90% dos presos que saíram da unidade de progressão não voltaram à penitenciária. É claro que ainda precisamos avançar muito, mas já é um bom começo. Temos regras claras e rígidas, não permitindo qualquer deslize. Queremos contribuir para a diminuição da prática delituosa. Esse programa vai ajudar a resolvermos diversos problemas, entre eles o fato de termos uma alta taxa de reincidência”.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social - Prefeitura do Município de Paranavaí






Design by Gustavo Picoloto