Vigilância notificou mais de 4.200 casos suspeitos de dengue em 2019



A diretoria da Vigilância em Saúde de Paranavaí divulgou nesta terça-feira (14/1) o fechamento dos números de dengue na cidade em 2019. De 1º de janeiro a 31 de dezembro, foram feitas 4.249 notificações de casos suspeitos da doença no município. No total, 1.505 pessoas tiveram o diagnóstico confirmado de dengue clássica. Outras 613 pessoas ainda aguardam o resultado dos exames.

Veja também:
Força-tarefa contra dengue apresenta primeiros resultados positivos
Prefeitura retira 30 caminhões de lixo e entulho durante mutirão contra a dengue na Coloninha

“O mês de dezembro foi o mais crônico. Foram 1.014 notificações, a maioria feita na última quinzena do mês. Destes mais de mil casos, só conseguimos descartar 157 e positivar 257. Ainda temos 600 exames aguardando resultado, só referente às notificações do mês de dezembro. Se estes exames forem positivados, vamos ter fechado 2019 com mais de 2 mil casos de dengue confirmados em Paranavaí. A situação é crítica”, aponta a diretora da Vigilância em Saúde, Keila Stelato.

Para a Vigilância, o último ano já é um indicador de uma possível nova epidemia em 2020. “É só comparar os números. Em dezembro inteiro tivemos 1.014 notificações, o que já é um número muito alto. Na semana passada, fizemos um levantamento e só nos oito primeiros dias de janeiro, 734 pessoas foram diagnosticadas com suspeita de dengue nos postos de saúde, na UPA e na Casa da Dengue, montada na UBS Central. E o fluxo não para. Todos os dias são mais de 100 pessoas procurando atendimento médico com sintomas de dengue”, frisa Keila.

Os números de 2019 também são 562% maiores que os registrados no ano anterior. Durante todo o ano de 2018 o município registrou 642 notificações de suspeita de dengue e teve apenas 39 casos confirmados.

“Felizmente, não tivemos nenhum óbito relacionado à dengue no ano passado. Agora no mês de janeiro já temos conhecimento de duas mortes relacionadas à doença na nossa região, uma em Santa Izabel do Ivaí e outra em Rondon. Isso mostra que a situação está realmente crítica. O que nós pedimos é que as pessoas façam o mínimo, que é limpar seus quintais e eliminar os materiais que possam acumular água parada. Se a população não despertar para a gravidade do problema e fizer sua parte, nós vamos acabar repetindo aquela situação de surto de 2013”, finaliza a diretora da Vigilância em Saúde.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social - Prefeitura do Município de Paranavaí






Design by Gustavo Picoloto